segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Princípios Pedagógicos


Bom ano para todos os leitores do meu cantinho... :)

Pois é, ano novo vida nova como se diz... ou não... para mim sim... estágio novo, instituição nova e meninos, muito meninos novos... ao fim de tão pouco tempo de estágio sinto-me completamente esgotada... feliz mas muito cansada. É extenuante... os meus meninos sugam-me até ao tutano!!!
Começo a perceber que para se ser uma boa educadora tem de se fazer meditação, yoga e quiçá uma dietazinha... são tantas as situações em que se tem de parar respirar fundo para acalmar os ânimos e continuar... especialmente quando não se é o tipo de pessoa que grita com as crianças. Enfim, partilho com vocês os meus Princípios Pedagógicos, que são no fundo o meu guia básico de sobrevivência...


Princípios Pedagógicos

Autonomia e Liberdade

· Acredito que a educação das crianças deva ter como princípios base, o desenvolvimento da autonomia e a liberdade. Acredito que estes aspectos são de extrema importância para o desenvolvimento das crianças. Ao criarmos seres autónomos, estamos a contribuir para que o mundo fique repleto de adultos responsáveis, mas principalmente conscientes e alerta. Assim, pretendo transmitir sempre às crianças o gosto pelo novo e pelo diferente, fomentando sempre nestas a curiosidade por querer saber mais, progressivamente por iniciativa própria. Uma criança autónoma e livre em pensamentos e acções, irá tornar-se num adulto capaz de tomar decisões acertadas e conscientes, que regulem a sua vida de forma positiva.

Democracia, Igualdade e Justiça

· Os princípios da democracia, da igualdade, e da justiça, encontram-se sempre ligados. Com estes pretendo que as crianças que estejam a meu encargo, sejam autónomas o suficiente, para reconhecerem uma injustiça quando a virem, seja em que situações forem, tanto em crianças, como futuramente em adultos, podendo assim, de uma forma democrática, encontrar soluções para os problemas sempre em conjunto, e em prol de um melhor ambiente. O principio da igualdade, é para mim, o mais importante. Acredito intrinsecamente que somos de facto todos iguais, e pretendo transmitir às crianças sempre essa ideia. Não basta ter consciência desta ideia, é preciso acreditar nela, e assim, penso que o mundo tornar-se-à melhor.

Comunicação

· Pretendo que durante a minha prática existam momentos em que seja permitido às crianças expressarem-se livremente de forma oral ou escrita, para que desta forma se criem laços entre as crianças e entre os adultos. Considero que os momentos de partilha e de troca de experiências são muito importantes para o desenvolvimento da criança e pretendo portanto, criar condições para que isso aconteça.

Educar pelo Afecto e pela Brincadeira

· As situações de brincadeira são de importância extrema para o desenvolvimento das crianças. É nestes momentos que a criança adquire desde cedo, não só conhecimento de si e das suas limitações, como conhecimento dos outros. Desta forma pretendo criar sempre momentos propícios à brincadeira, seja ela livre, ou dirigida.
O afecto é para mim a base de tudo. É importante mostrar ás crianças sempre que possível o quanto gostamos delas, independentemente das suas acções. É importante que a criança saiba que se reprovam as suas acções menos boas, mas não se reprova quem a criança é. Sermos afectivos e bons para as crianças, é meio caminho andado para conquistarmos o seu respeito e admiração. O respeito não se ganha com gritos e castigos, mas com amor e confiança.


“... é dar-lhes voz, saber escutar compreender, acarinhar, saber viver, e com amor repreender... é ser bondoso, paciente, atencioso, incutir-lhes confiança e ajudá-las a crescer...”

( Hino da Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich)

2 comentários:

NETMITO disse...

A luz...que te deixo...é da cor da minha vida...
:)

Cuaudiah disse...

Ser educador é saber, às crianças transmitir os desafios da vida...A brincar e a sorrir...!!!

MUUUUU 4evah!

beijinhux***